"Os bons ideais aproximam as pessoas que olham o mundo não apenas para si, mas para todos"Rivaldo R. Ribeiro

13 de dezembro de 2018

FALSA SERINGUEIRA De nome científico Ficus elastica Roxb. ex Hornem.



Estão cortando árvores além do normal em José Bonifácio, queremos arborização NUNCA DESTRUIÇÃO DO VERDE.
O calor está nos cozinhando, todos querem chuvas, mas vem ventanias e tempestades.
Alguns não gostam de folhas caídas no solo, mas elas são sinais de vida, que ali por perto existem árvores.
Uma árvore média é capaz de colocar 1000 litros de água na atmosfera.
Uma arvore arrancada leva anos a voltar ao seu tamanho anterior, isso se o clima permitir.
.
REFLITAM BEM ANTES DE CORTAR, DESTRUIR, PODAR EXCESSIVAMENTE UMA DESSAS NOSSAS AMIGAS. ÚNICO SER VIVO QUE REALMENTE ESTÁ CONECTADO COM O UNIVERSO, POIS SUAS RAÍZES SÃO OS PLUGINS NESSA CONEXÃO.

Salve o planeta terra, PAZ E BEM!

Vejam mais informações sobre essa árvore clicando AQUI

12 de dezembro de 2018

Filhote de pássaro perdido numa pracinha




Só de imaginar que centenas desses bichinhos são incinerados durante as queimadas nos canaviais todos os anos. Me leva a preferir carro a gasolina e futuramente elétrico.
Não é por um acaso que as rolinhas estão fazendo seus ninhos nos nossos quintais, já tive o privilégio de ter dois ninhos no meu quintal e vê-los em cima do muro próximo ao ninho treinando suas asinhas para voar.


10 de dezembro de 2018

OS SAPOS ESTÃO SUMINDO E OS ESCORPIÕES AUMENTANDO


OS SAPOS NÃO SÃO NOSSOS INIMIGOS. JOGAR SAL SOBRE ELES É EXTREMAMENTE CRUEL

Sempre que surge um aumento excessivo de alguma espécie animal, logo concluímos que está havendo desiquilíbrio no meio ambiente. A natureza na sua sabedoria mantem o equilíbrio da fauna e flora contando com a ação dos predadores naturais, sem eles fatalmente vai existir o aumento de alguma espécie geralmente nociva ao próprio meio ambiente e ao homem, hoje vamos levantar a questão do aumento do temível ESCORPIÃO. Sendo os SAPOS um dos maiores predadores desse animal peçonhento e letal.   

OS SAPOS:
Os Sapos não respiram apenas pelos pulmões, sim também pela pele essa é uma razão do porquê nunca devemos jogar sal sobre seu dorso, além de cruel pela dor que o animal sente o leva a morrer sufocado. 
.
Os Sapos não atacam com venenos ou toxinas isso acontece apenas nas espécies estritamente selvagens e são raros. 
.
Os sapos que aparecem em nossos jardins apresentam glândulas que ficam acima dos olhos no dorso denominada "glândula parotoide, com uma estrutura esponjosa contendo um líquido leitoso. Ao contrário do que muitas pessoas acreditam este líquido leitoso não é venenoso para o homem, causando no máximo uma irritação e, mesmo assim, apenas se colocado na boca ou nos olhos. E são usadas apenas quando são atacados diretamente, a exemplo mordidas de cães ou predadores naturais cobras e morcegos".* https://www.infoescola.com/anfibios/sapo/

Num balanço entre a utilidade e inutilidade dos SAPOS é mais positivo e minimamente negativo, pois eles são predadores naturais na origem das pragas entre eles estão os temíveis ESCORPIÕES, sendo talvez os maior predador desse animal peçonhento, pois ambos tem hábitos noturnos, enquanto que as galinhas também como predadora não tem tanta eficácia porque seu hábito é diurno e os encontra apenas ciscando o terreno, isto é os encontra por um acaso é não é útil na caso de desiquilíbrio ambiental e os SAPOS sim porque os ataca na sua origem. 
.
Além da sua utilidade como predadores de pragas nocivas a nós seres humanos(Vetores da DENGUE, FEBRE AMARELA ETC.) e ao ecossistema no seu equilíbrio ambiental , ele pode ser considerado uma espécie de termômetro de como está os biomas na questão de conservação e proteção ambiental, visto que são sensíveis as mudanças climáticas e envenenamentos dos rios, riacho e lagoas.   Se na sua região os sapos estão desaparecendo, não festejam, é sinal que algo não vai bem com os mananciais e nossa água de cada dia pode estar perigosamente poluída a ponto de não permitir sua reprodução.        
    

25 de novembro de 2018

Campanha pede que banhistas levem copos reutilizáveis para as praias de Florianópolis

O Estado de Santa Catarina sempre a frente, veja a reportagem: 

Por Ânderson Silva
23/11/2018 - 09h43 - Atualizada em: 23/11/2018 - 09h43
https://www.nsctotal.com.br/home


Foto: Divulgação/PMF

A prefeitura da Capital lança em dezembro uma campanha para que os banhistas levem copos reutilizáveis e canudos recicláveis para as praias. 
Tudo para evitar mais dano ao meio ambiente. Uma pesquisa australiana mostra que, anualmente, 100 mil animais marinhos morrem por conta da contaminação de plástico nos oceanos.

Leia a reportagem completa clicando AQUI



24 de novembro de 2018

As 20 Árvores Mais Bonitas do Brasil




Ed Alk

Top 20 das árvores mais bonitas do nosso Brasil! Lista feita segundo opinião própria. Contribua afetuosamente, deixando seu comentário para expressar seu ponto de vista! Obrigado! Funkorama de Kevin MacLeod está licenciada sob uma licença Creative Commons Attribution (https://creativecommons.org/licenses/...) Origem: http://incompetech.com/music/royalty-... Artista: http://incompetech.com/ Carefree de Kevin MacLeod está licenciada sob uma licença Creative Commons Attribution (https://creativecommons.org/licenses/...) Origem: http://incompetech.com/music/royalty-... Artista: http://incompetech.com/ Cold Funk - Funkorama de Kevin MacLeod está licenciada sob uma licença Creative Commons Attribution (https://creativecommons.org/licenses/...) Origem: http://incompetech.com/music/royalty-... Artista: http://incompetech.com/


4 de novembro de 2018

Leite: conheça o segredo do campeão mundial em produtividade



No terceiro episódio da série Conexão Israel, conheça os segredos do país campeão mundial na produtividade.
Aqui no Brasil, empresas líderes do segmento estão atentas às tecnologias usadas lá e interessadas em colocar em prática o que há de moderno no mercado.
Canal Rural

Mais sobre ISRAEL:



Israel oferece projeto salvador para o governo Bolsonaro



Canal do Youtube:  Canal do Conservador

Canal do Conservador no Facebook


QUESTIONE-SE ( Os assuntos mais omitidos que a mídia não fala)


3 de novembro de 2018

POR UM NOVO AMBIENTALISMO !

Por Dirceu Pio

“Erradíssimo, trágico, equívoco, engano, um caminho sem volta...” Quem vê as críticas – pesadas ! – que os velhos e novos opositores disparam contra Jair Bolsonaro por anunciar sua intenção (aparentemente, já sepultada) de fundir os ministérios da Agricultura e Meio-Ambiente vai achar que o Brasil possui uma política ambiental próxima da perfeição.
.
Só que não ! A política ambiental brasileira – usando um adjetivo até suave – é grotesca !
.
Não deve existir outro termo para definir esse já antigo jogo de faz-de-conta onde uma legislação faz-de-conta que protege, mas só trava a economia ao invés de proteger; um dispendioso aparato de fiscalização faz-de-conta que fiscaliza e deixa acontecer, em Mariana (MG), o maior desastre ambiental da história do Brasil, uma síntese perfeita do ambientalismo de araque a que este país é submetido.
.
FOI EM 2015
.
Ocorrido em 05 de novembro de 2015, o desastre de Mariana escancarou todas as facetas da nossa tragédia ambiental:
.
1)- Meses antes do estouro da barragem do Fundão (resíduos da mineração de ferro que a Samarco, empresa que resultou da sociedade entre a Vale do Rio Doce e a australiana BHP-Billinton) relatórios técnicos de organismos ambientais demonstravam que o depósito deveria ser interditado urgentemente porque a sua capacidade estava esgotada e havia o risco de rompimento.
.
2)- Assim que o derrame ocorreu, a Câmara Federal e as duas Assembleias Legislativas dos estados atingidos (MG e ES) formaram comissões interpartidárias para investigar as causas do desastre. Descobriu-se em seguida que 80% de todos os deputados, inclusive os do PV, que formaram essas comissões haviam recebido somas generosas da Vale do Rio Doce “para ajudar na campanha”.
.
3). O desastre de Mariana chama a atenção do Brasil para a inoperância dos organismos ambientais federais, como o IBAMA, que nem fiscaliza e não pune e se pune não recebe pelas multas que aplica. Os jornais da época noticiaram que o Ibama só recebia 8,7% das multas que aplicava.
.
4). A tragédia de Mariana escancarou também a omissão de entidades ambientais como o Greenpeace ou a SOS Mata Atântica; enquanto a primeira manteve-se distante dos problemas, a segunda esteve por lá para medir a turbidez do Rio Doce. Sou sócio-fundador da SOS Mata Atlântica e hoje, desolado, vejo que a entidade transformou-se num projeto acéfalo preocupado em medir a turbidez de rios sabidamente poluídos ou em ensinar as pessoas a fazer xixi enquanto tomam banho.
.
MUITA DESOLAÇÃO
.
O cenário, no geral é desolador. E como pano de fundo de todas as nossas tragédias ambientais, tanto daquelas que já aconteceram, como daquelas que ainda poderão acontecer, está a péssima qualidade da nossa classe política, incapaz até agora de reorientar o ambientalismo.
.
Vejam o caso de Marina Silva, que sequer esteve em Mariana; foi uma das primeiras a se manifestar contra a fusão. Ela disse:
.
- Estamos inaugurando o tempo trágico da proteção ambiental igual a nada. Nem bem começou o governo Bolsonaro e o retrocesso anunciado é incalculável...
.
Ainda bem que sua voz foi abafada nas catacumbas em que sabiamente o eleitor a colocou neste histórico pleito de 2018.
.
O AGRONEGÓCIO AVANÇOU
.
O agronegócio, por sua vez, foi o único segmento da economia que avançou em meio ambiente, o que tem sido demonstrado em vários artigos do geógrafo da Embrapa, Evaristo Miranda.
.
E por que avançou ?
.
Simples: porque aprendeu na carne e no bolso que toda agressão praticada contra o meio-ambiente volta-se contra quem a praticou sempre de modo dramático !
.
E o bate-cabeça e o faz-de-conta prosseguem em quase todos os demais segmentos. Não poderia faltar, é claro, mais uma contribuição do socialismo corrupto.
.
O jornalista Fernando Gabeira já se referiu a isso em recente artigo: como as Ongs sempre dependeram de verbas oficiais, o ambientalismo foi inoculado pelo viés ideológico petista...
.
BOLSONARO PREOCUPADO
.
Antes e após a eleição, Jair Bolsonaro tem se referido ao quanto as leis ambientais, seja por inadequação, seja por viés ideológico, têm perturbado a economia: “Vejam o caso da psicultura...ela pode trazer um ganho adicional extraordinário aos pequenos produtores rurais...aí o cara quer fazer um tanque pra criar peixe em sua propriedade e vem o licenciamento ambiental e diz: não pode !“- disse Bolsonaro em recente entrevista ao SBT.
.
Pelo que me parece, a única pessoa a fazer uma crítica pertinente à ideia da fusão foi a modelo Gisele Bunchen. Ela disse:
.
- Fragilizar a autoridade representada pelo Ministério do Meio Ambiente, no momento em que as preocupações com as ameaças da mudança climática e do desmatamento se intensificam, pode ser desastroso e um caminho sem volta.
.
Eis o ponto sensível que muito provavelmente levou o presidente eleito a refletir melhor sobre o assunto.
.
Tanto quanto posso sugerir a ele, penso que deveria dar início ao governo de transição e encomendar, imediatamente, à chancelaria uma sondagem para ver como os mais importantes países das relações comerciais do Brasil reagiriam à fusão.
.
De qualquer modo, imagino que ele tenha uma equação nada fácil a resolver: como tirar, também do ambientalismo, o viés ideológico que há muito tempo faz do conservacionismo uma causa de bandeira vermelha...

31 de outubro de 2018

JUNÇÃO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E MEIO AMBIENTE NOS ASSUSTA.

NOTICIA UOL
AMBIENTE CONTURBADO 

OPINIÃO:
Não concordo com essa fusão, por uma simples razão o Meio ambiente tem que ser sim antagônico ao da Agricultura, pois quem irá fiscalizar os desmatamentos do agronegócio e preservar as reservas florestais que já anda bastante combalida.
A sustentabilidade na agricultura é a garantia da sobrevivência de um clima equilibrado que irá favorecer a própria agricultura e o agronegócio como um todo.
No final das contas a agricultura necessita de um meio ambiente e uma natureza sadia para que produza bem, pois sem o clima equilibrado e com chuvas regulares, o agronegócio deverá utilizar a irrigação, visto que estamos a cada ano tendo secas mais acentuadas com grandes rios secando prejudicando até a produção de eletricidade. E ai? Como Ficamos?
.
Acho que os dois ministérios juntos pode funcionar em países desenvolvidos e conscientes no valor da proteção ao meio ambiente, exemplo a Alemanha.

Aqui no Brasil não, é fato a destruição da Amazônia em busca de espaço para pecuária a um custo ambiental trágico para o futuro. É fato queimadas agrícolas prejudicando a atmosfera e poluindo o ar. É fato a poluição dos nossos mananciais. É fato o extermínio das espécies: fauna e flora...
Não podemos esquecer o problema dos agrotóxicos que é exagerado no Brasil, além disso é difícil de acreditar que apenas o Ministérios da Agricultura fará um trabalho de fiscalização isento no que tange os problemas ambientais, e com certeza isso pode pegar mal no exterior prejudicando nossas exportações agrícolas. 
.
Já podemos notar que o equilíbrio dos ciclos das chuvas já não existe mais, basta ver as secas a cada ano mais crescentes no Sudeste e Sul do Brasil, e quando chove vem tempestades destruidoras já prometendo a formação de tornados no sul do Brasil.
A natureza é muito delicada para tomar atitudes que venha prejudicar seu equilíbrio que na maioria das vezes se torna irreversível.
.
"Presidente Bolsonaro sou seu fã, o ajudei nas redes sociais, mas nesse caso peço que reflita com bastante profundidade, pois nossa "colheita" poderá ser dramática num futuro bem próximo se não respeitarmos a natureza." OK?

Queimadas próximas as cidades, desrespeito a saúde humana e a vida animal.   
( CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIAR)





 Fotos: Rivaldo R. Ribeiro

29 de outubro de 2018

Saiba como produzir e faturar com a pupunha



O Vale do Ribeira é a principal região produtora de palmito pupunha no estado de São Paulo. A pupunha é uma opção ambientalmente correta, além de possuir um bom mercado consumidor. Nossa equipe foi até o município de Juquiá para mostrar todo o processo de produção.


Canal Rural

27 de outubro de 2018

Ruas curiosas que existem pelo Brasil afora.



Conheça algumas ruas curiosas empalhadas pelo Brasil. Inclusive essa que destacaram aqui: uma rua que desafia a gravidade.
Nesse vídeo aparece também uma Rua que é considerada a mais bonita do mundo, a Rua Gonçalo de Carvalho de Porto Alegre -RS e tantas outras.

Vejam o vídeo quem sabe não surge aqui uma ideia para transformar alguma rua em sua cidade em curiosa ou turística pela beleza.

Fonte Canal Youtube:
Domingo Espetacular

16 de outubro de 2018

RECUPERAÇÃO DE DESERTOS NA CHINA, EM ISRAEL E NA ÁFRICA TRANSFORMADOS EM AGRICULTURA(Matéria de Capa)



Em diversos pontos do globo, desertos começam a se transformar em áreas agrícolas, com plantações em larga escala.
Projetos nesse sentido estão sendo desenvolvidos em países da Ásia, África e Oriente Médio, onde o verde das plantações predomina na paisagem que um dia foi de areia e pedra.
Esta edição do Matéria de Capa dedica-se a iniciativas que visam melhorar o meio ambiente, recuperando áreas degradadas e ampliando a oferta de alimentos. Curta a página do Matéria de Capa no Facebook! https://www.facebook.com/ProgramaMateriaDeCapa Siga a TV Cultura: - Facebook: https://www.facebook.com/tvcultura - Twitter: https://twitter.com/tvcultura - G+: https://plus.google.com/+tvcultura


Matéria de Capa


15 de outubro de 2018

Israel: quase 50% da produção agrícola é abastecida com água de reuso



Na primeira reportagem da série “Conexão Israel” você acompanha o pontos que unem e separam as duas potências do agronegócio mundial, a começar pelo uso da água.
Enquanto o Brasil é um dos países com maior disponibilidade de água por habitante no planeta, Israel tem clima desértico.
No país do Oriente Médio, quase metade da produção agrícola é abastecida com água de reuso de esgoto.

Canal Rural


12 de setembro de 2018

FURACÃO FLORENCE



Furacão Florence passou para categoria 4 e pode aumentar sua intensidade, ele ameaça a costa leste dos Estados Unidos.


1 de agosto de 2018

EXPORTANDO VIDAS- Feliciano Filho




Afinal somos seres civilizados ou seres abomináveis que estamos aqui apenas para torturar os animais, a vida e natureza?


30 de julho de 2018

QUEIMADAS SEM FIM...

Mais uma queimada que consegui registrar no dia 27/07/2018, chegava arder os olhos por causa da fumaça. 
.
Não sei precisar o local exato, pois com a gasolina no preço abusivo que está não dá para ir muito longe, portanto nesse dia a última foto que fiz foi em frente a Capelinha de Monte Alegre, focalizando na direção de Ubarana-SP.
Mas mesmo a distância poderemos perceber mais uma  tragédia ambiental, no céu formava uma linha de gases tóxicos poluindo a atmosfera, qual será a consequência disso?  
A natureza reage a tudo, nada fica impune. A cada ano a estiagem vem aumentando, os ciclos de chuvas tem sido alterado. A chuvas vem apenas com as frentes frias, pesadas e muitas vezes violentas. 
As chamadas chuvas de manga do passado, ou as dos invernos que caiam macia para uma boa noite de sono, não existem mais, agora estamos sendo castigados com tempos secos e poluídos.  
Não posso afirmar que a poluição das queimadas e a destruição das florestas é causa dessa transformação, mas qualquer bom observador poderá fazer essa comparação e refletir sobre o tema.
Estamos correndo risco de transformar nosso clima que antes era chuvoso e produtivo num clima árido, prejudicando nossa sobrevivência por aqui...  
Seria o aquecimento global, El Niño? 
Disso ninguém pode afirmar com certeza, mas que estamos dando uma mãozinha destruindo e poluindo a natureza, disso não tenho dúvidas.






25 de julho de 2018

BASTA DE QUEIMADAS

QUEIMADAS EM CANAVIAIS: Imagens horrorosas e tristes, uma tragédia ambiental que nos dá um sentimento de impotência diante de tamanha barbaridade contra NATUREZA, FAUNA(Animais silvestres sendo incinerados com crueldade e covardia), FLORA,O CLIMA, A ATMOSFERA E A NOSSA SAÚDE.
O governo do Estado deve fazer com urgência um novo zoneamento agrícola, porque não é mais possível castigar milhões de pessoas dessa forma. 
A nossa região( SÃO JOSÉ DO RIO PRETO,SP) tem uma das maiores densidades demográficas do Estado e isso tem que ser levado e conta evitando o cultivo de culturas poluidoras como é a CANA DE AÇUCAR.( PRINCIPIO DA PRECAUÇÃO) e Art. 225 da constituição.
FOTOS 20/07/18 Rivaldo R. Ribeiro















19 de julho de 2018

A HISTÓRIA TRISTE DA VENEZUELA



Uma nação que poderia ser rica e próspera, mas tomou o caminho que sempre levou nações do mundo ao abismo.

10 de julho de 2018

UM CRIME CONTRA A NATUREZA: FAUNA, FLORA, POLUIÇÃO DA ATMOSFERA E CONTRA A HUMANIDADE.

Fotos feitas por volta das 13 horas de ontem: 06/07/18

"Negritude no céu foi uma premonição que a batalha da Seleção brasileira de futebol não seria fácil". Como uma nação que não respeita seu próprio "corpo" pode ser vitoriosa?
.
As queimadas agrícolas é um crime ambiental que atinge todo um círculo de destruição a natureza e meio ambiente, porque nada e ninguém fica livre dos seus malefícios.
Estamos vivendo uma quase epidemia de GRIPE ALÉRGICAS, gripe que maltrata a população mesmo que vacinadas contra as GRIPES causadas por vários vírus.
Tai algo que não compreendo, se estou vacinado como sofro com uma GRIPE a quase uma mês???
Não é um simples resfriado, são dores de cabeça, pelo corpo, tosse intermitente, febre. Ou a vacina não é eficaz ou a poluição que nos sufoca é a causa desse mal ser semelhante a uma GRIPE FORTE, dessa forma sugiro a mudança do nome dessa patologia que conhecemos como GRIPE.
.
Que tal SÍNDROME DA VIROSE AGUDA OU VIROSE ADQUIRIDA DAS QUEIMADAS(RSRSRS), pois é isso que os médicos diagnosticam esses sintomas: VIROSE.
.
Aqui no Brasil se estuda apenas os lucros, nunca os resultados negativos que uma atividade pode gerar. A exemplo disso a tragédia da Mineradora Samarco em Mariana que matou o Rio Doce e dezenas de pessoas perderam a vida e suas casas. 
Não aplicamos o PRINCIPIO DA PRECAUÇÃO, principio este que a maioria dos países avançados o fazem. Tai os resultados em várias analises sobre nosso País, somos comparados a países africanos e nações pobres do mundo. Algo que não poderia ocorrer pela nossa dimensão continental.
.
Quantas a fotos que é mostrada aqui, é um crime que deveria ser punido com rigor, LEIS existem para isso. Mas como sempre a justificativa que o incêndio aconteceu por acidente, bituca de cigarros, atos de irresponsabilidade, criminoso etc.
.
Mas se o fogo foi gigantesco porque encontrou combustível, possivelmente canaviais que não possuem planejamento para que se evite uma tragédia injustificável como essa.
Uma tragédia ambiental que todos estamos sentindo na pele, narinas e pulmões.
Uma tragédia que vem matando gente por causa das infecções agudas nos pulmões, do desequilíbrio ambiental e de um clima de difícil adaptação para nós seres humanos e possivelmente para outras espécies de vida.
As paisagens estão feias, cinzas e cada ano os vegetais se atrofiam...
.
JOSÉ BONIFÁCIO pretende ser uma cidade turística. 
É essa a paisagem que pretendemos mostrar aos desavisados turistas?
.
Olhando com os olhos de um pintor impressionista eles podem achar essas imagens belas. A explosão de uma bomba atômica também é horrivelmente linda, mas causa uma destruição irreparável onde é deflagrada.
.
Aliás, uma amiga do Face que mora no Japão comparou uma foto que fiz há alguns anos, onde mostrava uma tarde avermelhada pelos gases que subiram para atmosfera vindo das queimadas, a uma pintura de Van Gogh. 
Linda e triste comparação! 
E fotógrafos postam na internet o pôr do Sol com cores do fim do mundo, e afirmam que são belas...

Rivaldo R. Ribeiro

CLIQUE NAS FOTOS PARA AMPLIAR:
FOTOS: Rivaldo R. Ribeiro






12 de junho de 2018

SABIÁ: Os Cantos Mais Belos da Fauna Brasileira!!!



Os Cantos Mais Belos da Fauna Brasileira!!!

Se você gostou do vídeo deixe seu like para fortalecer o canal
E também ative o sininho para ser notificado quando vídeo novo for enviado

Prender pássaro sem licença do Ibama é crime.

CANAL YOUTUBE : Natureza Selvagem

20 de maio de 2018

Pesquisadora analisa retirada do símbolo que indica presença de transgênicos

Fonte: Ensp/Fiocruz

A Comissão de Meio Ambiente (CMA) do Senado Federal votou, na terça-feira (17/4), favoravelmente ao Projeto de Lei que desobriga empresas a denunciarem a presença de transgênicos em seus produtos alimentícios. A proposta, que tramita no Senado desde 2015, visa retirar o triângulo amarelo com a letra “T”, símbolo da existência de organismos geneticamente modificados (OGMs).
.
Segundo relator da CMA, o senador Cidinho Santos (PR-MT), não haveria danos para a população: “A despeito dos alimentos transgênicos serem uma realidade há mais de 15 anos no mundo, ainda não há registros de que sua ingestão cause danos diretos à saúde humana. Não existe um registro sequer”. Cidinho propõe que só alimentos com taxas de concentração de OGMs acima de 1% mantenham a rotulagem de alerta.
.
Transgênicos são organismos geneticamente modificados. São produtos de cruzamentos genéticos que jamais aconteceriam na natureza. Por serem organismos vivos que são liberados no meio ambiente, eles podem cruzar com outras espécies e expor a nossa biodiversidade a sérios riscos, como a perda ou alteração do patrimônio genético de plantas e sementes.
.
Desde o início do debate, a Abrasco se manifestou pedindo que “os senhores senadores não deixem que esse atentado à saúde dos brasileiros se consuma”. Além disso, segundo o Greenpeace Brasil, mais de 100 organizações da sociedade civil também assinam documento contra o fim da rotulagem de transgênicos nos alimentos.
.
A pesquisadora Letícia Cardoso, do Departamento de Epidemiologia e Métodos Quantitativos em Saúde da Ensp/Fiocruz, concedeu entrevista ao Informe Ensp sobre os impactos da retirada do símbolo “T” nos alimentos, produtos com ingredientes ou que são compostos por sementes transgênicas. Ela, que atua no campo da Epidemiologia Nutricional, especificamente em temas como a magnitude de agravos nutricionais em populações, consumo e práticas alimentares e doenças crônicas, analisa a decisão da CMA e suas consequências na saúde e no ambiente. 

Confira ----->
.

'Agrotóxico é veneno. É sintetizado para pragas, mas pode matar humanos'' | Fiocruz divulga nota técnica contra projeto que flexibiliza regulação de agrotóxicos


Por: Danielle Monteiro/ Agência Fiocruz de Notícias
O uso de agrotóxicos é atualmente um dos mais importantes fatores de risco para a saúde da população e o meio ambiente no Brasil. O país é atualmente o maior consumidor mundial desses produtos. De acordo com dados da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), apesar de o Brasil não ser o maior produtor agrícola do mundo, o crescimento nacional do consumo de agrotóxicos chegou a quase 200% entre 2000 e 2009. As empresas produtoras de agroquímicos no país duplicaram desde 2008 e, nos últimos anos, o crescimento da importação dessas substâncias foi de quase 400%. O consumo de agrotóxicos é resultado da adoção de um modelo de agricultura chamado agronegócio, que é dependente do uso de venenos. Para falar sobre o assunto, a Agência Fiocruz de Notícias entrevistou o pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), Luiz Claudio Meirelles.
.
O Brasil é atualmente o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Por que o uso dessas substâncias ocorre tão intensamente no país, se ele não é campeão mundial de produção agrícola?.
Luiz Claudio Meirelles: O Brasil trabalha com monocultura extensiva que demanda muita utilização de agrotóxicos. Entretanto, sabemos que, mesmo com essa produção de monocultura extensiva de grão, é possível que o uso pudesse ser bem menor do que está implementado hoje. E existe uma estratégia bastante agressiva das empresas que atuam no Brasil para a venda desses produtos. A entrada dos transgênicos, da maneira como ocorreu, também aumentou o uso de alguns herbicidas que, anteriormente, tinham uso mais restrito nos períodos de plantio. Esses fatores são razões que fazem com que se use mais agrotóxico no Brasil do que em outros países, que têm um trabalho de manejo e de controle de pragas que comporta outros mecanismos de utilização de produtos. Atualmente o agronegócio é um financiamento brutal. Eles recebem muitos recursos para produzir da maneira convencional.
.
Ainda utilizamos agrotóxicos que já foram proibidos em outros países como Estados Unidos, Canadá e países europeus?.
Meirelles: Sim. Na China, por exemplo, alguns desses produtos já foram proibidos e aqui ainda seguimos em uso. Antes de 2000, muitos agrotóxicos perigosos à saúde foram inseridos no mercado, e estão nele até hoje, precisando ser revisados. Esse procedimento não é fácil de executar, pois, muitas vezes, as empresas pressionam, através da pressão política ou de ações judiciais. É um processo muito longo, que pode levar anos. Desde 2008, durante meu período na Anvisa, estávamos reavaliando produtos antigos, colocando 14 deles em reavaliação. Metade foi concluído. Pedimos para retirar, por exemplo, os produtos paration metílico e forato do mercado. Os dois foram avaliados como neurotóxicos pela Fiocruz, implicando em grande risco à saúde humana. Mas, no entanto, continuam no mercado até hoje; e nada foi feito em relação a isso. Essa questão é importante e não pode ser negligenciada.
.
A União Europeia, os EUA, Japão e Austrália têm um sistema de avaliação que tem se antecipado a essas questões do risco toxicológico dessas substâncias, que foram proibidas. No Brasil, buscamos pautar, até mesmo porque a lei trata disso, quando existem alertas internacionais, e colocar esses produtos em reavaliação. O mecanismo de retirada de um agrotóxico do mercado brasileiro é somente pela reavaliação, pois não existe prazo de registro de uma substância. Uma vez que a empresa o consegue, ele é para sempre. A única maneira legal de se fazer a retirada desse produto do mercado é através de uma reavaliação toxicológica.
.
O que poderia ser feito em termos de políticas públicas para a redução do uso e consumo de agrotóxicos?.
Meirelles: É preciso aprimorar, cada vez mais, os mecanismos de controle e de avaliação dessas substâncias, sendo necessário o fortalecimento de todo o procedimento de avaliação toxicológica do país, e que se aumentem as medidas de segurança e de proteção ao meio ambiente. A legislação brasileira é bastante rica e suficiente e é preciso que continuemos a defendê-la. Existem, hoje, determinadas forças no Brasil que desejam que a legislação ande para trás e que os mecanismos de controle dessas substâncias sejam reduzidos.
.
Do ponto de vista da agricultura, precisamos fortalecer as ações que mitigam o uso de agrotóxicos, como a implementação da agroecologia de maneira geral. Precisamos fortalecer as políticas de agroecologia, financiar os projetos nessa área. No caso da agricultura orgânica, é preciso dar financiamento, permitir mais recursos, ampliar a extensão rural com técnicos capacitados a orientar a produção sem a utilização de agrotóxicos. Por outro lado, é preciso conhecer melhor o que já existe de contaminação e o que pode estar ocorrendo em relação aos produtos que têm sido utilizados. O manejo das pragas novas no Brasil também pode diminuir em muito o uso de agrotóxicos.
.
Agrotóxico é veneno. Ele é sintetizado para matar pragas e pode matar seres humanos, além de contaminar o meio ambiente e provocar a morte de animais silvestres e domésticos. O primeiro aspecto a considerar é que as questões de saúde e ambiente têm de ser privilegiadas nessa discussão. No Brasil, se o setor de saúde perder a capacidade de avaliar esses tipos de produtos, será um retrocesso brutal. Não estou falando em pesquisa, mas sim em serviços de monitoramento, que deem conta do conhecimento sobre os níveis de contaminação em todo o país.
.
Por que o Brasil ainda hesita em adotar o modelo de base agroecológica? Ele não poderia ser também produtivo para o país?.
Meirelles: No Brasil, existe um modelo agrícola que expulsa o homem da terra. O agricultor vai trabalhar em determinada área sem a menor condição de produzir. Ele não tem quem o ensine, nem equipamentos, que são muito caros, nem sementes variadas. Por isso, ele acaba saindo do campo e vindo para a cidade. E mesmo em áreas onde havia um modelo mais equilibrado, ao estilo guatemalteco, vimos que ele se perdeu, pois foi substituído pelo agronegócio, que acaba comprando as terras dessas pessoas a preço de banana. Nosso modelo é excludente, concentrador de renda, de terras e dá lucro para quem é dono disso tudo e prejuízo para a sociedade em geral. Mexer nesse modelo exige coragem, determinação política e uma determinação maior da sociedade brasileira para que isso aconteça.
.
Quais são as lavouras que mais fazem uso de agrotóxicos no Brasil?.
Meirelles: As grandes monoculturas, como soja, café, algodão, cana. No entanto, isso está sendo incentivado nas pequenas e médias culturas também, como morango, pimentão, mate, que consumimos in natura. Eles têm muito resíduo de agrotóxico.
.
A semente do algodão é usada para a fabricação de ração. Atualmente a incidência de câncer entre animais, principalmente gatos e cachorros, também tem crescido muito. É possível que esse crescimento esteja associado à ingestão de ração com agrotóxicos?
.
Meirelles: Sim, há possibilidade de que isso esteja associado ao uso de agrotóxicos na ração e também até de outros aditivos.
.
Além de câncer, que outras doenças o consumo de agrotóxicos pode causar?.
Meirelles: As principais, além de câncer, são má formação, doenças neurológicas, problemas hormonais que causam outros desequilíbrios como câncer, e esterilidade.
.
Como se deve fazer a lavagem das frutas e legumes para a retirada de parte dos agrotóxicos?.
Meirelles: Deve-se retirar a casca e lavar os alimentos com abundância. Vinagre e hipoclorito não retiram essas substâncias do alimento, somente matam os microrganismos. Outra solução é tentar consumir frutas da época, conhecer sua procedência e, se possível, consumir produtos orgânicos. Além disso, antes de tudo, a população deve seguir cobrando dos governos municipal, estadual e federal a retirada dos agrotóxicos perigosos à saúde do mercado.
.
Serviço:.
Além de fazer a lavagem das frutas, e legumes, o consumidor pode consultar os dados do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos. No site é possível se informar sobre quais alimentos deve evitar.

ATUALIZANDO:.
15/05/2018
Fiocruz divulga nota técnica contra projeto que flexibiliza regulação de agrotóxicos
Fonte: CCS/Fiocruz
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulga Nota Técnica com seu posicionamento contra o Projeto de Lei 6299/2002, que propõe modificações no sistema de regulação de agrotóxicos, seus componentes e afins no Brasil. O documento da Fiocruz visa subsidiar a audiência sobre o PL com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, prevista para ocorrer nesta terça-feira (15/5).
.A nota apresenta 25 páginas de abordagens conceituais, de processos e de conhecimento científico nas quais a Fundação se coloca contra o PL e a favor da vida. "O PL representa em seu conjunto uma série de medidas que buscam flexibilizar e reduzir custos para o setor produtivo, negligenciando os impactos para a saúde e para o meio ambiente."