"Os bons ideais aproximam as pessoas que olham o mundo não apenas para si, mas para todos"Rivaldo R. Ribeiro

13 de fevereiro de 2013

Giovanna Chirri foi a primeira repórter a dar a noticia sobre a renuncia do Papa.

"A importância de saber latim no Vaticano"



É aquilo a que no jornalismo se chama um "furo", dar uma notícia que nunca ninguém deu, e Giovanna Chirri, da agência italiana Ansa, foi a primeira a noticiar a renúncia de Bento XVI.

Giovanna Chirri foi uma das poucas repórteres que ouviram o Papa a falar em latim em mais uma cerimónia, aparentemente normal. A diferença é que a vaticanista – nome dado aos jornalistas que acompanham as notícias sobre o Vaticano – sabe a língua de Virgílio.

"Ele continuava a falar em latim e, a certa altura, disse que tinha notícias importantes para o futuro da Igreja, que ele estava a ficar velho", conta a jornalista à agência noticiosa onde trabalha, citada pelo Washington Post. Foi nesse momento, que Giovanna Chirri prestou mais atenção às palavras de Bento XVI. "Percebi imediatamente que estava a anunciar a sua renúncia ao cargo", continua.

A seguir a Bento XVI, no consistório, tomou a palavra o cardeal Angelo Sodano, que apelidou a intervenção do Papa como um "trovão em céu sereno" e a vaticanista teve a certeza que ouvira e compreendera bem as palavras do Papa. "Comecei a chorar", confessa a jornalista, continuando: "Provavelmente não é muito correcto para um repórter, mas foi o que aconteceu."

Ainda assim, Giovanna Chirri sabia que tinha de dar a notícia e recorreu ao padre Federico Lombardi, o porta-voz do Vaticano, insistindo com ele para que confirmasse a decisão do Papa. Este não lhe respondeu, conta o director de informação da Ansa, Luigi Contu, à AFP.

Mas Giovanna Chirri tinha a certeza do que ouvira e, quando estava a passar a informação ao chefe de redacção da Ansa, Federico Lombardi acabou por a contactar e confirmou a novidade histórica. A notícia saiu às 11h46, na segunda-feira, e começou a ser reproduzida pelo mundo inteiro.

"É a vingança da cultura [clássica], importante na preparação dos futuros jornalistas", comenta Luigi Contu. Mais comedida, Giovanna Chirri responde que o latim de Bento XVI "é muito fácil de compreender".

Fonte:
http://www.publico.pt
Postar um comentário